Procurado
Informações que levaram à justiça…

Zulkarnaen

Recompensa de até US$ 5 milhões

Zulkarnaen, cujo nome verdadeiro é Aris Sumarsono, é chamado Daud por seus colegas militantes. Oficiais dos EUA e da Indonésia afirmaram que Zulkarnaen tornou-se chefe de operações da Jemaah Islamiyah (JI) após a prisão de seu suposto predecessor Riduan Isamuddin, também conhecido como Hambali, na Tailândia. Zulkarnaen é descrito por aqueles que o conhecem como um homem pequeno, de poucas palavras.

Zulkarnaen foi identificado possivelmente como o líder mais alto na hierarquia do grupo terrorista Jemaah Islamiyah, do Sudeste Asiático. Acredita-se que tenha encabeçado o esquadrão de elite que ajudou a executar o atentado suicida a bomba no Hotel Marriott de Jacarta, que matou 12 pessoas em 2003, e que ajudou a preparar as bombas que mataram 202 pessoas em Bali em 2002.

Zulkarnaen é um dos principais homens da Al-Qaeda no Sudeste Asiático e um dos poucos indivíduos na Indonésia com contato direto com a rede terrorista Al-Qaeda. Zulkarnaen diplomou-se em biologia por uma universidade da Indonésia, e nos anos 1980 foi um dos primeiros militantes indonésios a treinar no Afeganistão para tornar-se perito em sabotagem. Atualmente, Zulkarnaen lidera um esquadrão de militantes chamado Laskar Khos, ou “força especial”, cujos membros foram recrutados entre 300 indonésios que treinaram no Afeganistão e nas Filipinas.

Zulkarnaen era protegido de Abdullah Sungkar, fundador da JI e do internato islâmico al-Mukmin, onde Zulkarnaen e outros militantes veteranos estudaram. Em meados dos anos 1980, Sungkar enviou um pequeno grupo de indonésios ao Afeganistão para treinamento num acampamento liderado pelo comandante do Mujahidin, Abdul Rasul Sayyaf. Antes da morte de Sungkar em 1999, Zulkarnaen era visto frequentemente ao lado de seu mentor, ajudando a organizar conferências e cuidando da agenda do radical mais velho.

Acredita-se que Zulkarnaen tenha ajudado a organizar os combates nas ilhas Maluku nos anos 1990, e tenha organizado uma reunião de militantes que treinaram no Afeganistão em diversas épocas, permitindo-lhes juntar forças.