Histórias de Sucesso

Ramzi Ahmed Yousef

Condenado

Ramzi Ahmed Yousef foi o terrorista planejador responsável pelo atentado a bomba de fevereiro de 1993 ao World Trade Center na cidade de Nova York que matou seis pessoas e deixou mais de mil feridos. Yousef e seus assistentes conduziram um veículo carregado de explosivos até o porão do World Trade Center. Horas depois da explosão, Yousef fugiu de avião para o Paquistão.

Yousef reapareceu nas Filipinas, onde esteve envolvido no desenvolvimento de uma complexa conspiração terrorista. Ele planejava assassinar o papa João Paulo II em 14 de janeiro de 1995, durante a visita deste às Filipinas, e explodir 12 aviões norte-americanos de passageiros na Ásia alguns dias depois. A conspiração toda ficou conhecida como “Oplan Bojinka,” termo que traduzido em gíria árabe significa “Operação Explosão” ou “Operação Big Bang”. Yousef foi claramente o arquiteto da operação, mas entre outros importantes protagonistas da Oplan Bojinka estavam Wali Khan Amin Shah, Abdul Hakim Murad, Khalid Shaikh Mohammad (tio de Yousef e planejador dos ataques de 11 de setembro) e Hambali, todos membros jurados da Al-Qaeda.

Como parte da conspiração geral, em 21 e 22 de janeiro de 1995, cinco terroristas colocariam explosivos a bordo de 12 aviões norte-americanos com paradas no Leste e Sudeste Asiático durante a primeira escala de cada voo e desembarcariam antes dos aviões serem destruídos simultaneamente sobre o Oceano Pacífico. Cada um dos cinco terroristas teria que embarcar em um segundo ou mesmo terceiro voo até que uma bomba estivesse armada em todos os 12 aviões. O número de fatalidades para esta fase do plano era de mais de 4.000 pessoas.

Felizmente, Yousef e seus cúmplices fracassaram por causa de seu descuido. A 6 de janeiro de 1995, Yousef e Murad foram forçados a fugir de seu apartamento em Manila quando uma mistura química produziu uma nuvem de fumaça que saiu pela janela. Yousef pediu a Murad que retornasse ao apartamento para recuperar um computador portátil e outras provas incriminatórias. Quando Murad voltou ao apartamento, porém, foi confrontado pela polícia, que já tinha chegado ao local. Ao dar-se conta que Murad fora apanhado pela polícia, Yousef fugiu para o Paquistão.

Em fevereiro de 1995, um informante, tendo visto uma caixa de fósforo do RPJ e motivado pela recompensa, foi à embaixada dos EUA em Islamabad, Paquistão, e forneceu informações sobre o paradeiro de Yousef. Em 7 de fevereiro de 1995, as autoridades paquistanesas, auxiliadas pelos agentes da Secretaria de Segurança Diplomática do Departamento de Estado dos EUA, prenderam Yousef em Islamabad e o extraditaram aos Estados Unidos. Yousef encontra-se atualmente preso no Colorado. Os outros quatro participantes da operação Oplan Bojinka também estão presos.