Procurado
Informações que levaram à justiça…

Mohamed Makawi Ibrahim Mohamed

Recompensa de até US$ 5 milhões

No dia 01 de janeiro de 2008, o cidadão dos E.U.A. e funcionário da Agência de Desenvolvimento Internacional dos Estados Unidos (USAID) John Granville e seu motorista sudanês, Abdelrahman Abbas Rahama, foram baleados e assassinados quando voltavam para casa de uma comemoração de Ano Novo em Khartoum no Sudão.  Dois grupos assumiram separadamente a responsabilidade pelos assassinatos: o grupo agora extinto al-Qaida nas Terras dos dois Nilos (al-Qaida in the Lands of the Two Niles – AQTN) e o Ansar al-Tawhid (Defensores do Monoteísmo).

Cinco indivíduos foram julgados e condenados pelo sistema judiciário sudanês por envolvimento nos assassinatos.  Abdelraouf Abu Zaid Mohamed Hamza, Mohamed Makawi Ibrahim Mohamed, Abdelbasit Alhaj Alhassan Haj Hamad e Mohanad Osman Yousif Mohamed receberam sentença de morte por enforcamento, mas escaparam da Prisão Khober de Khartoum um ano após a condenação. Mohanad, segundo informações, morreu na Somália em maio de 2011.  Abdelraouf foi recapturado pelas autoridades sudanesas.  Makawi e Abdelbasit continuam soltos.

Makawi tinha vínculos com um grupo no Sudão denominado al-Qaida nas Terras dos dois Nilos (al-Qaida in the Lands of the Two Niles), que planejou atacar os E.U.A., outros interesses do Ocidente e sudaneses.  Ele era o chefe do grupo que realizou o ataque no dia 01 de janeiro de 2008 e foi identificado como um dos dois atiradores nos assassinatos.  Depois de escapar da Prisão Khobar em Khartoum em 11 de junho de 2010, Makawi foi para a Somália.