Procurado
Informações que levaram à justiça…

Malik Abou Abdelkarim

Recompensa de até US$ 3 milhões

Malik Abou Abdelkarim é líder sênior de uma empresa de combatentes dentro do grupo terrorista, al-Qaida in the Lands of the Islamic Maghreb (AQIM).  Sob o comando de Abdelkarim a empresa adquiriu armas e conduziu sequestros e ataques terroristas de pequena escala no norte e oeste da África. Segundo informações, Abdelkarim foi responsável pela morte de um refém francês de setenta e oito anos na Nigéria em julho de 2010.  Um ataque em junho de 2010 realizado pela empresa de Abdelkarim causou a morte de 11 policiais algerianos.

A Al-Qaida in the Lands of the Islamic Maghreb (AQIM), anteriormente conhecida como Grupo Salafista para Pregação e Combate (Salafist Group for Preaching and Combat – GSPC), conduziu dezenas de ataques terroristas na região do noroeste da África.  A AQIM alegou responsabilidade por ataques suicidas com bomba, sequestros de ocidentais, assassinatos e ataques com dispositivo explosivo improvisado.  O grupo conduziu duas operações suicidas simultâneas em dezembro de 2007, ataques a sedes do programa das Nações Unidas e ao Conselho Constitucional Algeriano, matando 42 pessoas e ferindo mais 158.  A AQIM também alegou responsabilidade pelo assassinato em junho de 2009 do cidadão americano Christopher Leggett, que se encontrava na Mauritânia realizando trabalho missionário.  Em setembro de 2012, a AQIM incentivou seus membros a ameaçar embaixadas dos E.U.A. e matar embaixadores dos E.U.A. A AQIM anunciou sua aliança oficial com a al-Qaida em setembro de 2006, e desde então tem reafirmado sua intenção de atacar alvos ocidentais.

O Departamento de Estado dos E.U.A. denominou a GSPC de Organização Terrorista Estrangeira segundo a Seção 219 da Lei de Imigração e Nacionalidade (e alterações) de março de 2002, e renovou a designação do grupo segundo seu novo nome de AQIM em 16 de outubro de 2009.  O Departamento do Tesouro dos E.U.A. denominou o grupo como uma Entidade Terrorista Especialmente Designada segundo a Ordem Executiva 13224 em 21 de fevereiro de 2008.