Procurado
Informações que levaram à justiça…

Husayn Muhammed al-Umari

Recompensa de até US$ 5 milhões

O Departamento de Estado dos EUA autorizou uma recompensa de até US$ 5 milhões por informações que levem à prisão e/ou condenação de Husayn Muhammed al-Umari.

Husayn Muhammed al-Umari é procurado pelo FBI. Alega-se que teria participado do atentado a bomba de 11 de agosto de 1982 contra o voo 830 da Pan American World Airways, que resultou no homicídio doloso de um passageiro, lesões em 16 passageiros e a tentativa de homicídio doloso de 267 passageiros e tripulantes a bordo. Al-Umari foi uma das três pessoas denunciadas por esse ato terrorista. Alega-se que ele projetou e fabricou o dispositivo explosivo que detonou quando a aeronave voava de Narita, Japão, para Honolulu, Havaí.

Al-Umari foi acusado perante o juiz federal do Distrito de Colúmbia por: 1) formação de quadrilha para atacar e danificar propriedade; 2) formação de quadrilha para cometer homicídio doloso; 3) homicídio doloso; 4) sabotagem contra aeronave; 5) dano a aeronave usada no comércio exterior; 6) colocação de bombas em aeronave; 7) agressão; 8) tentativa de sabotagem contra aeronave; e 9) ajuda na prática de um delito. Em 1998, um cúmplice da quadrilha, Mohammad Rashed, que colocou a bomba na aeronave, foi preso e levado para os Estados Unidos. Ele confessou seu papel no atentado a bomba e assinou um acordo de cooperação como parte de sua defesa.

Acredita-se que al-Umari seja um mestre na fabricação de bombas e tenha sido líder do grupo terrorista 15 de Maio. Ele foi denunciado também pelo Governo da França por seu papel nos atentados a bomba contra a loja de departamentos Marks and Spencer em Paris e contra o Leumi Bank.

Al-Umari talvez seja portador de um passaporte do Líbano, onde consta que vive sua esposa. Ele tem dois filhos e duas filhas. Viveu por vários anos no Iraque. Embora seu atual paradeiro seja desconhecido, é possível que esteja vivendo no Líbano ou no Iraque. Consta que viaja sempre portando uma arma de fogo, e deve ser considerado armado e perigoso.

Foto adicional

Husayn Muhammed al-Umari