Procurado
Informações que levaram à justiça…

Hamad el Khairy

Recompensa de até US$ 5 milhões

Hamad el Khairy é o líder e membro fundador do grupo terrorista “Movimento de União e Jihad na África Ocidental” (Movement for Unity and Jihad in West Africa – MUJWA, também conhecido como MUJAO e TWJWA). Sob a liderança de Khairy, os membros do MUJWA executaram operações de rapto, ataques terroristas e sequestros de diplomatas estrangeiros. Khairy assumiu responsabilidade pelo rapto em abril de 2012 de sete diplomatas argelianos em Mali, e apareceu em vídeos do MUJWA fazendo ameaças contra quem se opusesse à organização. Em janeiro de 2012, Khairy declarou que o objetivo do MUJWA era “impor a lei sharia em toda a África Ocidental.”

Antes de assumir a liderança do MUJWA, Khairy era membro do AQIM, e planejava operações terroristas contra a Mauritania. Em outubro de 2011, Khairy ordenou o sequestro de três agentes de auxílio europeus na Argélia, onde dois deles foram baleados. Khairy foi classificado como terrorista de acordo com a Ordem Executiva 13224 de 07 de dezembro de 2012.

O MUJWA foi criado em setembro de 2011 como uma extensão do “al-Qaida in the Lands of the Islamic Maghreb” (AQIM) para difundir ainda mais as atividades terroristas por toda a África Ocidental. O MUJWA conduziu vários ataques e sequestros, inclusive um ataque suicida em março de 2012 em Tamanrasset, na Argélia, onde 23 pessoas sairam feridas. O MUJWA também assumiu responsabilidade pelo sequestro do embaixador canadense e do enviado das Nações Unidas, Robert Fowler. Os Estados Unidos classificaram o MUJWA como entidade Terrorista Global Especialmente Designada em 07 de dezembro de 2012, e o Comitê das Nações Unidas de Sanções à al-Qaida mencionou o MUJWA em 05 de dezembro de 2012 por estar associado ao AQIM.