Procurado
Informações que levaram à justiça…

Interferência eleitoral estrangeira

O programa Rewards for Justice do Departamento de Estado dos EUA oferece recompensa de até US$ 10 milhões por informações que levem à identificação ou localização de qualquer pessoa que, ao atuar sob a orientação ou controle de um governo estrangeiro em violação da seção 1030 do título 18, interfira em qualquer eleição federal, estadual ou municipal dos EUA. Certas operações cibernéticas maliciosas direcionadas à infraestrutura de eleições ou campanhas eleitorais podem infringir a Computer Fraud and Abuse Act (Lei de Fraude e Abuso de Computadores), 18 U.S.C. § 1030, que criminaliza invasões não autorizadas a computadores e outras formas de fraude relacionadas a computadores. Entre outras infrações, o estatuto proíbe o acesso não autorizado a computadores para obtenção de informações e sua transmissão a destinatários não autorizados.

A capacidade de indivíduos, assim como de potências estrangeiras, de interferir em ou minar a confiança do público em eleições dos Estados Unidos, inclusive através de acesso não autorizado à infraestrutura de eleições e campanhas, constitui uma ameaça incomum e extraordinária à segurança nacional e à política externa dos Estados Unidos (Ordem Executiva nº 13848, de 12 de setembro de 2018). Por exemplo, adversários estrangeiros poderiam empregar operações cibernéticas maliciosas direcionadas à infraestrutura eleitoral, incluindo bancos de dados de registro de eleitores e máquinas de votação, para prejudicar uma eleição nos Estados Unidos. Esses adversários também poderiam realizar operações cibernéticas maliciosas contra organizações ou campanhas políticas dos EUA para roubar informações confidenciais e depois vazar essas informações como parte de operações de influência para minar organizações ou candidatos políticos.

Foto adicional

Interferência eleitoral estrangeira