Procurado
Informações que levaram à justiça…

Abdullahi Yare

Recompensa de até US$ 3 milhões

Abdullahi Yare é o chefe da mídia para a al-Shabaab. Ele também serve como representante de Ahmed Abdi aw-Mohamed (Godane), o fundador e emir da al-Shabaab.

A Al-Shabaab foi a asa militante do Conselho Somaliano dos Tribunais Islâmicos que tomou a maior parte do sul da Somália na segunda metade de 2006. A Al-Shabaab continuou sua insurgência violenta no sul e no centro da Somália. O grupo reivindicou responsabilidade por muitos bombardeios – incluindo vários tipos de ataques suicidas -—em Mogadishu, na Somália Central e do Norte, normalmente alvejando autoridades do governo somaliano e aliados considerados do Governo Federal de Transição (TFG) da Somália. A Al-Shabaab provavelmente foi responsável por uma onda coordenada de cinco carros-bomba suicidas em outubro de 2008 que atingiu simultaneamente alvos em duas cidades no norte da Somália, matando pelo menos 26 pessoas e ferindo mais 29. A Al-Shabaab foi responsável por um bombardeio suicida duplo em Kampala, em Uganda, em 11 de julho de 2010, que matou mais de 70 pessoas, incluindo um americano. O grupo é responsável pelo assassinato de ativistas de paz somalianos, funcionários da ajuda internacional, várias figuras da sociedade civil e jornalistas. Em fevereiro de 2012, a al-Shabaab e a al-Qaida anunciaram sua aliança formal.

O Departamento de Estado dos EUA nomeou a al-Shabaab como um Organização Terrorista Estrangeira sob a Seção 219 da Lei de Imigração e Nacionalidade (e posteriores alterações) em 26 de fevereiro de 2008 e uma entidade Terrorista Global designada especialmente sob a Ordem Executiva 13224 em 29 de fevereiro de 2008.