Procurado
Informações que levaram à justiça…

Abdul Zakir

Recompensa de até US$ 5 milhões

Abdul Rauf Zakir, que também é conhecido como Qari Zakir, é o chefe das operações suicidas da Rede Haqqani e o comandandte operacional das Províncias de Cabul, Takhar, Kunduz, e Baghlan, no Afeganistão. Zakir é responsável pelo programa de treinamento da Rede Haqqani, que inclui instrução em armas de pequeno calibre, e em construção básica de dispositivos explosivos improvisados (IED).

Zakir contatou o líder da Rede Haqqani, Sirajuddin Haqqani, em 2008, solicitando auxílio financeiro em troca de expandir a influência e as operações do grupo no norte do Afeganistão, e tornou-se sócio de confiança e confidente de Sirajuddin. Tem estado envolvido em muitos dos ataques suicidas de grande porte da Rede Haqqani e é parcialmente responsável por ter tomado algumas das determinações finais sobre se deviam ou não prosseguir com ataques em grande escala planejados pelos comandantes de nível distrital locais. Entre os ataques usando pessoal escolhido do programa de treinamento de Zakir constam os ataques de 2010 contra as bases da força de coalizão Salerno e Chapman; o ataque de junho de 2011 contra o Hotel Intercontinental, em que 11 civis e dois policiais afegãos foram assassinados; e o ataque de setembro de 2011 da Embaixadas dos E.U.A. em Cabul, em que 16 Afegãos foram mortos, entre eles pelo menos seis crianças.

O Departamento de Estado dos E.U.A. designou Abdul Rauf Zakir como Terrorista Global Especialmente Designado segundo o Ato Executivo 13224 de 5 de novembro de 2012.

A Rede Haqqani é um grupo militante fundado por Jalaluddin Haqqani, um comandante de campo de batalha do Afeganistão da década de 80 que lutou contra a União Soviética. A Rede Haqqani é aliada ao Talibã afegão e à al-Qaida e busca restabelecer o regime talibanês no Afeganistão. A Rede Haqqani situa-se principalmente no Waziristão do Norte, no Paquistão, e conduz operações transfronteiriças no leste do Afeganistão e Cabul. Os Haqqanis são considerados como o grupo insurgente mais mortal que visa as forças de coalizão e afegãs do Afeganistão.

A Rede Haqqani planejou e executou uma série de sequestros e ataques significativos contra os E.U.A. e as Forças de Coalizão do Afeganistão, e também contra alvos do governo e civis afegãos. Um dos ataques mais notórios do grupo foi o ataque contra o Hotel Intercontinental em Cabul em junho de 2011, em que 11 civis e dois policiais afegãos foram mortos; um bombardeio com caminhão bomba em setembro de 2011 na província de Wardak, no Afeganistão, que deixou 77 soldados dos E.U.A. feridos; um ataque de 19 horas contra a Embaixada dos E.U.A. e a Sede da Força de Auxílio de Segurança Internacional (ISAF) em Cabul em setembro de 2011; um ataque de homem-bomba em junho de 2012 contra a Base de Operação de Transferência de Salerno, em que dois soldados dos E.U.A. foram mortos e 100 foram feridos; e 12 horas de cerco do Hotel Spozhmai em Cabul em junho de 2012, que resultou na morte de pelo menos 18 afegãos, entre eles 14 civis.

O Departamento de Estado dos E.U.A. designou a Rede Haqqani como uma Organização Terrorista Estrangeira em 19 de setembro de 2012.