Notícias de Última Hora

Qasim al-Rimi

Recompensa de até US$ 10 milhões

Qasim al-Rimi foi nomeado emir da Al-Qaeda na Península Arábica (AQAP) em junho de 2015, imediatamente após ter jurado fidelidade ao líder da Al-Qaeda Ayman al-Zawahiri e convocado a retomada de ataques contra os Estados Unidos. Al-Rimi treinou terroristas em um campo da Al-Qaeda no Afeganistão, nos anos 90 e, subsequentemente, retornou ao Iêmen e se tornou um comandante militar da AQAP. Ele foi condenado a cinco anos de prisão em 2005 no Iêmen por planejar o assassinato do embaixador dos Estados Unidos no Iêmen e escapou em 2006. Al-Rimi foi associado ao ataque de setembro de 2008 na Embaixada dos Estados Unidos em Sana’a, que matou 10 guardas do Iêmen, quatro civis e seis terroristas. Al-Rimi também está associado à tentativa de bombardeio suicida feita pelo “homem-bomba” Umar Farouq Abdulmutallab, ocorrida em dezembro de 2009, a bordo de um avião dos Estados Unidos. Em 2009, o governo do Iêmen o acusou de gerir um campo de treinamento da al-Qaeda na província de Abyan no Iêmen.

(Texto na Íntegra »)

Khalid Saeed al-Batarfi

Recompensa de até US$ 5 milhões

Khalid al-Batarfi é um membro sênior da AQAP no Governatorato Hadramaut do Iêmen e membro anterior do conselho shura da AQAP. Em 1999, ele viajou para ao Afeganistão, onde treinou no campo al-Farouq da al-Qaeda. Em 2001, ele lutou ao lado do Talibã contra as forças dos Estados Unidos e a Aliança do Norte. Em 2010, al-Batarfi se uniu à AQAP no Iêmen, liderou os combatentes da AQAP na tomada da província de Abyan do Iêmen e foi nomeado o emir de Abyan da AQAP. Após a morte do líder da AQAP Nasir al-Wuhayshi em um ataque militar dos Estados Unidos em 2016, ele divulgou um alerta de que a al-Qaeda destruiria a economia dos Estados Unidos e atacaria outros interesses dos Estados Unidos.

(Texto na Íntegra »)

Abdullah Ahmed Abdullah

Recompensa de até US$ 10 milhões

Abdullah é um líder sênior da al-Qa’ida e membro do conselho de liderança da al-Qa’ida, o “majlis al-shura.” Ele é um gestor financeiro, facilitador e planejador operacional experiente da al-Qa’ida.

Abdullah foi acusado e incriminado por um grande júri federal em novembro de 1998 por sua atuação nos bombardeios das embaixadas dos Estados Unidos em 7 de agosto de 1998, em Dar es Salaam, Tanzânia e Nairóbi, Quênia. Os ataques mataram 224 civis e feriram mais de 5.000 pessoas.

Na década de 90, Abdullah forneceu treinamento militar aos operadores da al-Qa’ida, como também a tribos da Somália que lutaram contra as forças dos Estados Unidos em Mogadishu durante a “Operation Restore Hope”. De 1996 a 1998, ele operou vários campos de treinamento da al-Qa’ida no Afeganistão.

(Texto na Íntegra »)

Sayf al-Adl

Recompensa de até US$ 10 milhões

Al-Adl é um líder sênior da al-Qa’ida e membro do conselho de liderança da al-Qa’ida, o “majlis al-shura.” Al-Adl também dirige o comitê militar da al-Qa’ida.

Al-Adl foi acusado e incriminado por um grande júri federal em novembro de 1998 por sua atuação nos bombardeios das embaixadas dos Estados Unidos em 7 de agosto de 1998, em Dar es Salaam, Tanzânia e Nairóbi, Quênia. Os ataques mataram 224 civis e feriram mais de 5.000 pessoas.

Ele era tenente coronel das Forças Especiais do Egito até sua prisão em 1987, juntamente com milhares de outros militantes que faziam oposição ao governo, após a tentativa de assassinato do ministro do interior do Egito

(Texto na Íntegra »)

Abdul Wali

Recompensa de até US$ 3 milhões

Abdul Wali é o líder da Jamaat ul-Ahrar (JuA), uma facção militante afiliada da Tehrik-e-Taliban Pakistan (TTP). Ele atua, alegadamente, das províncias de Nangarhar e Kunar no Afeganistão.

Sob a liderança de Wali, a JuA tem sido uma das redes mais operacionalmente ativas da TTP na província de Punjab e assumiu a autoria de vários bombardeios suicidas e de outros ataques no Paquistão.

Em março de 2016, a JuA conduziu um bombardeio suicida em um parque público em Lahore, no Paquistão, que matou 75 pessoas e feriu 340.

(Texto na Íntegra »)

Mangal Bagh

Recompensa de até US$ 3 milhões

Mangal Bagh é o líder da Lashkar-e-Islam, uma facção militante afiliada da Tehrik-e-Taliban Pakistan (TTP). O seu grupo recebe receitas de tráfico de drogas, contrabando, sequestros, ataques a comboios da OTAN e impostos sobre a circulação de mercadorias referente ao comércio entre o Paquistão e o Afeganistão.

Bagh lidera a Lashkar-e-Islam desde 2006 e têm trocado de alianças rotineiramente para proteger fluxos de receita ilícitos, ao mesmo tempo que impõe uma versão extremista do Islam Deobandi nas regiões leste do Afeganistão e oeste do Paquistão controladas por ele, principalmente na província de Nangarhar, Afeganistão.

(Texto na Íntegra »)

Ahlam Ahmad al-Tamimi

Recompensa de até US$ 5 milhões

A cidadã jordaniana, Ahlam Ahmad al-Tamimi, também conhecida como “Khalti” e “Halati,” é uma terrorista condenada, associada ao HAMAS.

Em 9 de agosto de 2001, al-Tamimi transportou uma bomba e um homem-bomba suicida do HAMAS a uma pizzaria Sbarro lotada em Jerusalém, onde o homem-bomba detonou os explosivos, matando 15 pessoas, inclusive sete crianças. Dois cidadãos americanos foram mortos no ataque – Judith Shoshana Greenbaum, uma professora grávida de 31 anos de New Jersey e Malka Chana Roth, uma adolescente de 15 anos. Outras 120 pessoas ou mais foram feridas, inclusive quatro americanos. O HAMAS assumiu a responsabilidade pelo ataque a bomba.

(Texto na Íntegra »)

Talal Hamiyah

Recompensa de até US$ 7 milhões

Talal Hamiyah é o líder da Organização de Segurança Externa (OSE) do Hizballah, que mantém células organizadas no mundo todo. A OSE é o órgão do Hizballah responsável pelo planejamento, coordenação e execução de ataques terroristas fora do Líbano. A princípio, os ataques eram direcionados a israelitas e americanos.

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos considerou Talal Hamiyah um Terrorista mundial especialmente designado (SDGT) em 13 de setembro de 2012, em conformidade com o decreto 13224, por apoiar as atividades terroristas do Hizballah no Oriente Médio e em todo o mundo.

(Texto na Íntegra »)

Fuad Shukr

Recompensa de até US$ 5 milhões

Fuad Shukr é um consultor sênior de longa data do secretário geral do Hizballah, general Hasan Nasrallah para assuntos militares. Shukr é um agente sênior do Hizballah, cuja função é ser o comandante militar das forças do Hizballah no sul do Líbano. Ele serve no corpo militar superior do Hizballah’s, o Conselho da Jihad.

As atividades de Shukr em nome do Hizballah datam de mais de 30 anos. Ele foi um associado próximo do já falecido comandante do Hizballah Imad Mughniyah. Shukr teve papel central no planejamento e execução do atentado a bomba contra o quartel do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA em Beirute, Líbano, no dia 23 de outubro de 1983, que matou 241 pessoas do serviço americano.

(Texto na Íntegra »)

Muhammad al-Jawlani

Recompensa de até US$ 10 milhões

Muhammad al-Jawlani, também conhecido como Abu Muhammad al-Golani, também conhecido como Muhammad al-Julani, é o líder sênior da organização terrorista al-Nusrah Front (ANF), ramo da al-Qa’ida na Síria. Em abril de 2013, al-Jawlani jurou lealdade a al-Qa’ida e ao seu líder Ayman al-Zawahiri. Em julho de 2016, al-Jawlani elogiou a al-Qa’ida e al-Zawahiri em um vídeo on-line e declarou que a ANF estava alterando seu nome para Jabhat Fath Al Sham (“Conquista da Frente do Levante”). Sob a liderança de al-Jawlani, a ANF realizou diversos ataques terroristas em toda a Síria, alvejando civis com frequência. Em abril de 2015, a ANF sequestrou e, posteriormente, libertou aproximadamente 300 cidadãos curdos de um ponto de controle na Síria. Em junho de 2015, a ANF declarou responsabilidade pelo massacre de 20 residentes do vilarejo druzo Qalb Lawzeh na província de Idlib na Síria. (Texto na Íntegra »)

Assassinato de Joel Wesley Shrum

Taizz, Iêmen | 18 de março de 2012

Em 18 de março de 2012, Shrum, de 29 anos, foi baleado e morto em seu caminho para o trabalho em Taizz, no Iêmen, por um atirador que estava na carona de uma motocicleta que parou ao lado de seu veículo. Na ocasião de sua morte, Shrum trabalhava no Centro de treinamento e desenvolvimento internacional como administrador e professor de Inglês. Ele vivia no Iêmen com sua esposa e dois filhos pequenos. Alguns dias após o ataque, a organização terrorista al-Qaida da Península Árabe (AQAP) declarou responsabilidade pelo assassinato. O programa Recompensas para a Justiça do Departamento de Estado dos Estados Unidos está oferecendo uma recompensa de até US$ 5 milhões por informações que levem à prisão e condenação dos indivíduos que cometeram, planejaram ou auxiliaram o assassinato do cidadão americano Joel Shrum. (Texto na Íntegra »)

Abu Bakr al-Baghdadi

Recompensa de até US$ 25 milhões

Abu Bakr al-Baghdadi, também conhecido como Abu Du’a e Ibrahim ‘Awwad Ibrahim ‘Ali al-Badri, é o líder sênior da organização terrorista Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIL). A ameaça imposta por al-Baghdadi aumentou significativamente desde o anúncio da oferta inicial da recompensa de $10 milhões do Departamento de Estado por informações que levem à sua localização, prisão ou condenação em 2011. Em junho de 2014, o ISIL (também conhecido como Da’esh) assumiu o controle de partes da Síria e do Iraque, declarou a criação de um califado islâmico e nomeou al-Baghdadi o califa. Nos últimos anos, o ISIL ganhou o apoio de grupos jihadistas e radicalizou indivíduos em todo o mundo, inspirando ataques nos Estados Unidos. (Texto na Íntegra »)

Gulmurod Khalimov

Recompensa de até US$ 3 milhões

Antigo coronel de operações especiais do Tajiquistão, comandante de polícia e atirador militar, Gulmurod Khalimov é membro e recrutador do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIL). Ele foi comandante de uma unidade paramilitar no Ministério do Interior do Tajiquistão. Khalimov apareceu em um vídeo de propaganda confirmando que luta pelo ISIL e fez um chamado público para atos violentos contra os americanos. (Texto na Íntegra »)

Abu-Muhammad al-Shimali

Recompensa de até US$ 5 milhões

Tirad al-Jarba, Chefe Superior de Fronteira do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIL), mais conhecido como Abu-Muhammad al-Shimali, está desde 2005 associado ao ISIL, que anteriormente era conhecido como al-Qaida no Iraque. Ele agora serve como oficial principal do Comitê de Logística, sendo o responsável pela intermediação de viagens de guerreiros terroristas. (Texto na Íntegra »)

Tráfego de Petróleo e de Antiguidades que beneficiam o Estado Islâmico do Iraque e o Levante.

O Programa de Recompensas por Justiça está oferecendo recompensas de até US$ 5 milhões por informações que levem a uma interrupção significativa da venda e/ou comércio de petróleo por, para, em favor de, ou para benefício do grupo terrorista Estado Islâmico do Iraque e o Levante (ISIL), também conhecido pela sua sigla DAESH. (Texto na Íntegra »)